Waleska Farias - Gestão de carreira e imagem



Etiqueta no Mundo Moderno Etiqueta no Mundo Moderno

Em tempos de novas tecnologias e globalização, a etiqueta cor­porativa também se revi­gora. Mas sua essência continua a mesma: evitar gafes graves e facilitar o relacionamento entre as pessoas. É claro que muita coisa mudou desde a era de Luís XIV, o rei que governou a França entre 1643 e 1715, época em que os cerimoniais eram mais caprichos exibicionistas do que regras de convivência. Famoso por suas bizarrices, o monarca acordava e adormecia observado por dezenas de cortesãos. Hoje a nova etiqueta corporativa sugere simplicidade e funciona como um código universal, a serviço da eficiência na comunicação. Chefe do cerimonial do Palácio dos Bandeirantes (SP) e autora de dez livros sobre etiqueta, a consultora Claudia Matarazzo considera o bom senso a base de tudo. "Quando o usamos, não tem erro. Junto com a naturalidade e a afetividade, ele forma o tripé do código de relacionamento. Nesses tempos em que nos comunicamos cada vez mais por meio de máquinas, a etiqueta deixa de ser um conjunto de normas sem sentido para se tornar um facilitador das relações", diz.

Para Susanna Sancovsky e Roberto Teixeira da Costa, autores do livro Nem só de Marketing… Postura e Comportamento no Mundo Corporativo, não apenas de talento vivem os bons executivos. "Muitos não conseguem chegar ao topo por falta de habilidade no trato social", diz Susanna. Paulo Ancona, diretor da consultoria Vecchi & Ancona, vai além. "É importante que a atitude da empresa seja comum a todas as pessoas", diz. Esse savoir-faire não é difícil. Com algumas regrinhas, e uma pitada de estilo, o sucesso está garantido. Confira!

Os smartphones recebem e enviam e-mails, permitem navegar na internet e acessar planilhas do Excel. Use, sim, todas essas aplicações, mas quando estiver sozinho


No smarthphone

• Muitos negócios são fechados pelo telefone, portanto, clareza e objetividade são essenciais.
• É importante falar com voz calorosa, nem alta nem baixa. Gritos (ou sussurros) são inadmissíveis. Expressões como "meu querido" são gastas e ineficientes. Tire-as do vocabulário.
• Mensagens na secretária eletrônica? O prazo máximo para a resposta é um dia. Ou você pode correr o risco de perder um bom negócio.
• Ao ligar, use seu nome e sobrenome para se identificar, e não o primeiro nome e o da empresa. Seu sobrenome é um patrimônio já o nome da empresa você pode perder ou trocar a qualquer momento.
• O vibracall foi a melhor das invenções do celular. E os toques engraçadinhos, a pior. Só deixe o celular ligado quando estiver em situações nas quais as ligações não irão atrapalhar.
• Durante uma viagem de avião, é possível desligar a função celular e usar os outros aplicativos. Aproveite o tempo, mas se estiver acompanhado de um colega, dê preferência à conversa.

Internet

• O termo netiqueta foi criado para ajudar a estabelecer um código de comportamento na internet. Em e-mails, uma das regras de ouro é usar sempre linguagem clara e objetiva, sem formalismos. Assine sempre seu nome completo, cargo e nome da empresa. Responda uma mensagem em no máximo cinco dias.
• Nunca envie um e-mail de forma impulsiva. Releia e reflita sobre a mensagem, e se vale a pena enviá-la.
• Abreviações, piadas, emoticons e correntes devem ser banidas do ambiente corporativo.
• Programas de mensagens instantâneas geram produtividade, mas atenção para não misturar colegas e amigos ou ficar refém deles.
• Se for convidado para uma rede social, como LinkedIn e hi5, analise se vale a pena aceitar. Se os participantes não vão ajudar em nada no seu networking, ignore o convite. O ato não será interpretado como deselegância.

Tele e videoconferências

• Numa teleconferência, identifique antes os participantes. O ideal é que o organizador envie a lista de pessoas, seus cargos e os assuntos em pauta.
• É essencial que cada um espere a sua vez de falar, sem interromper.
• O equipamento deve ser testado ao menos 20 minutos antes do horário agendado para a reunião.
• O melhor traje é o neutro, sem estampas e cores vivas. Mantenha a postura e evite caretas e bocejos. Aja como se estivesse sendo filmado.

Etiqueta internacional

• Caso o visitante estrangeiro não fale inglês, considerada a língua dos negócios, contrate um intérprete. Documentos e relatórios devem estar na língua do visitante.
• Aprenda algumas frases no idioma do visitante. O gesto será mais apreciado do que uma excelente gramática.
• No Japão, os cartões de visita são trocados no início da reunião. São oferecidos e pegos com as duas mãos.
• Pontualidade é importante em qualquer cultura.
• Os japoneses gostam de trocar presentes. Mas não os abrem diante de quem os presenteou. Eles não gostam de contato físico, portanto nada de tapinhas nas costas.
• Entre os árabes, é comum o cumprimento Salaam alaykum (a paz está com você), acompanhado de um aperto de mãos. Algumas vezes os homens se cumprimentam com beijos na bochecha.
• Atrasos não são vistos como falta de educação em muitos países árabes, particularmente quando o visitante é mais rico do que o anfitrião.
• Japoneses e árabes não gostam de ir direto ao assunto nas reuniões. Antes é preciso falar de amenidades, mas evite religião e vida pessoal.
• Nos países árabes, não se sente em um lugar no qual o convidado possa ver a sola de seu sapato. Isso é visto como insulto.
• Na França, recusar vinho em um almoço de negócios é ofensa.
• Americanos trocam cartões só se houver razão para um contato posterior. Ninguém irá recusar seu cartão, mas não se sinta ofendido se não receber o de seu interlocutor.
• Entre os russos, é comum esperar dos anfitriões noitadas e jantares regados a álcool, e fumar é normal.
• Italianos e espanhóis são menos pontuais do que os europeus do norte. A vida familiar é considerada importante e é natural falar sobre mulher e filhos antes da reunião.

Waleska Farias
Coaching, Carreira e Imagem.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
cadastre-se e receba nossas novidades »